• Mundo Zumm
  • Colunas
  • Zummcast
Início Colunistas Bel Pesce Aprendendo com os desafios

Aprendendo com os desafios

No artigo anterior, mencionei que sempre busco experiências ao redor do mundo para compartilhar meus aprendizados com outras pessoas

A Disney é a empresa que mais admiro e também o lugar que mais me traz inspirações para criar algo novo, seja na minha vida pessoal ou profissional. Recentemente, estive na Disneylândia, na Califórnia, para conhecer o Star Wars Galaxy’s Edge, uma nova área do parque construída totalmente sob a temática do filme.

Depois de horas vivendo uma imersão nesse mundo como um todo e aprendendo mais sobre o processo de abertura da área, percebi como, muitas vezes, esquecemos que alguns produtos e serviços “vivem” uma grande questão: uma demanda muito maior do que é possível ser atendida no começo, como foi o caso da inauguração da parte do Harry Potter, na Universal Studios, onde as pessoas ficavam uma média de 12 horas na fila para conseguir acessá-la.

O mesmo também aconteceu quando o mundo de Avatar foi inaugurado no Animal Kingdom, na Disney, onde levava-se uma média de oito horas para conseguir ver as maravilhas criadas em Pandora. Mesmo nos dias atuais, essa alta demanda no lançamento de produtos e serviços ainda costuma ser um desafio nas empresas.

A Disney observou a sua própria experiência de inauguração e também a história de outros parques, e a Disneylândia arriscou fazer diferente com a área do Star Wars. Primeiramente, para acessá-la você precisa fazer uma reserva e, no dia da visitação, recebe um ticket especial. Ou seja, até o momento, essa parte ainda não está disponível para todos que chegam ao parque, nem mesmo para as pessoas que estão dispostas a esperar horas em uma fila.

Simplesmente não há filas, porque somente as pessoas que fizeram uma reserva previamente conseguem entrar no mundo de guerra nas estrelas. Além disso, o tempo de circulação para as pessoas que já estão lá dentro é de, no máximo, quatro horas, de forma que o lugar seja cedido para outra leva de pessoas.

Mais uma vez, a Disney olhou para sua própria história, observou seus erros e encontrou soluções para proporcionar a melhor experiência possível para o seu público. Cada vez mais, percebo que nunca devemos parar de aprender, mesmo quando acreditamos que já chegamos a nossa melhor versão, pois a reinvenção é algo que sempre pode nos levar além.

Bel Pesce
Empreendedora e Escritora
bel@fazinova.com.br
Instagram: @belpesce
Linkedin: belpesce

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!