Câncer de Pele: Proteja-se já!

0
72
Câncer de pele | Créditos: Divulgação


Por ser o tumor mais frequente no mundo, são registrados 180 mil novos casos no país anualmente, segundo Instituto Nacional do Câncer

O câncer de pele ocorre quando as células da pele se multiplicam sem controle e pode ser classificado de duas formas: melanoma, que tem origem nas células produtoras de melanina que determina a cor da pele e o não melanoma, que é o mais frequente no Brasil,responsável por 33% de todos os casos de tumores malignos.

Para identificar algum sintoma, certifique-se com um médico dermatologista, através de exames clínicos. É possível ter algumas indicações com o exame “Dermatoscopia” ou Biopsia, utilizados em situações mais especificas.

Sintomas
É necessário manter-se alerta as manchas pruriginosas (que coçam), descamativa sou que sangram; sinais ou pintas que mudam de tamanho, forma ou cor; e feridas que não cicatrizam em um período de quatro semanas.

Quase 100% dos cânceres de pele podem ser tratados e curados, desde que sejam identificados precocemente. A cirurgia oncológica é o tratamento mais indicado para tratar o câncer de pele. Em estágios iniciais, a retirada da lesão pode ser realizada em nível ambulatorial (sem internação). Já para casos mais avançados como o melanoma, o tratamento varia de acordo com o avanço do tumor, além da cirurgia, a radioterapia e a quimioterapia, conforme cada caso.


Prevenção

É preciso evitar a exposição excessiva ao sol, principalmente nos horários em que os raios solares são mais intensos, entre 10h e 16h. O principal grupo de risco são as pessoas com pele bem clara, com muitas sardas e pintas em excesso, além daqueles que contam com um histórico familiar da doença. 

Proteja-se através do filtro solar. Utilize sempre, mesmo com o tempo nublado. Evite também exposição solar prolongada, caso contrário, mantenha os óculos escuros, camiseta e chapéu. Quando realizar alguma atividade ao ar livre, reaplique o protetor solar a cada duas horas, com no mínimo filtro 30.

O importante é que ao identificar o menor sinal de anormalidade na pele e em pintas, procure imediatamente um médico. Além disso, visite um dermatologista pelo menos uma vez ao ano.

* Dra. Elisa Campos Adolfo Queiroz, é médica dermatologista que atende pelo Trasmontano Saúde

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui