Câncer de rim pode ser prevenido com hábitos saudáveis

32

Mês de março traz alerta sobre doença que é silenciosa e pode não apresentar sintomas

Ele está entre os 10 tipos de tumores mais incidentes na população brasileira. Segundo o INCA – Instituto Nacional do Câncer, foram diagnosticados 6.200 novos casos de câncer de rim no Brasil em 2018. Para aumentar a conscientização e os cuidados com o órgão, no último dia de 9 de março foi celebrado o dia Mundial do Rim.

Sintomas
A maior parte dos casos de neoplasia renal não causam sinais ou sintomas precocemente. Sendo assim, o diagnostico acontece quando a doença está mais avançada. A tríade clássica dos sintomas é a dor no flanco, sangramento na urina e massa renal palpável. Outros sinais são anemia, fadiga, perda de peso, inchaço nas pernas, aumento de volume abdominal por acúmulo de líquido e alteração de função do fígado.

“Quando o paciente possui fatores de risco ou patologias crônicas que aumentam as chances de desenvolver essa doença, é importante receber orientação e seguimento médico mais frequente visando detecção precoce. São eles portadores de lúpus, diabetes, hipertensão arterial e obesidade”, comenta Cristiane Mendes oncologista do InORP/Grupo Oncoclínicas.

Tratamentos
Após o diagnóstico presuntivo ter sido feito com base em exames de imagem (tomografia ou ressonância magnética), o paciente deve ser avaliado quanto à extensão do envolvimento local do tumor. A cirurgia é o principal tratamento – ou seja a retirada parcial (ou total) do rim.

Em casos de doença avançada – onde ela saiu do rim e surgiram metástases em outros órgãos – uma biópsia pode ser realizada nesses locais (fígado, ossos, gânglios) para confirmar o diagnóstico antes de iniciar o tratamento médico apropriado que consiste na terapia alvo e imunoterapia.

“A terapia alvo age bloqueando o crescimento dos novos vasos sanguíneos que nutrem câncer e bloqueiam também a produção de proteínas importantes em células cancerígenas que as ajudam a crescer e a sobreviver”, explica a oncologista.

Ainda segundo a profissional alguns tipos de câncer são capazes de driblar o sistema imunológico usando uma espécie de “camuflagem” para não ser notado, ou então “desligando” os mecanismos do corpo responsáveis por identificar que há algo errado com aquela célula. “A imunoterapia por sua vez, oferece ferramentas para o sistema imune enxergar essas células e combatê-las mais fortemente, por meio de medicamentos orais ou injetáveis”, conta.

Prevenção
A prevenção continua sendo a melhor solução para evitar o câncer de rim e qualquer tipo de câncer. “Precisamos estar dispostos a mudar o estilo de vida. Como prevenção temos os hábitos saudáveis como aumentar a ingestão de água, dieta equilibrada, atividade física regular, controle de pressão arterial, de glicemia e de peso. Cessar tabagismo e etilismo. Exames regulares também devem ser realizados com orientação médica.”, conclui Cristiane.

Leia também: Ameaça silenciosa: câncer de ovário tem sintomas discretos

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui