Dá certo combinar anticoncepcional e bebida alcoólica?

363

Profissional farmacêutico esclarece as consequências de combinar o medicamento com álcool – dúvida recorrente especialmente em épocas festivas

Os bloquinhos já estão nas ruas, os ensaios das escolas de samba a todo vapor e o carnaval cada dia mais perto. Com muita frequência, essa diversão envolve o consumo de bebida alcoólica. E, para muitas mulheres, a dúvida que surge é: será que posso beber sendo que tomo anticoncepcional? Será que perde o efeito após uma bebedeira?

Para sanar essas e outras questões, Vagner Miguel, farmacêutico da Anfarmag (Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais), explica que as consequências da interação entre álcool e medicamentos dependem de vários fatores. Entre eles, está a composição do medicamento, o organismo do paciente e a quantidade de álcool ingerida. Por isso, de forma geral, a recomendação é evitar misturar os elementos.

As mulheres que tomam anticoncepcional devem conversar com o médico para usar um método contraceptivo complementar, já que, com a bebida, o efeito pode cair até pela metade. “Os anticoncepcionais podem ter tempos variados de permanência no organismo antes de serem eliminados, com duração que varia entre 12 a 24 horas ou mais, dependendo da substância, e isso gera riscos, já que a mulher pode achar que está protegida e ter atividade sexual sem preservativo”, alerta Vagner.

Para grande parte dos medicamentos, o principal órgão prejudicado é o fígado, que metaboliza, por meio das enzimas que produz, o álcool, ficando sobrecarregado. O álcool também afeta especialmente o sistema nervoso central, que comanda nossas ações, alterando substancialmente as capacidades cognitivas estruturais e comportamentais. “Portanto, na dúvida, a regra é: não misture álcool com nenhum tipo de medicamento”, destaca o farmacêutico.

Leia também: Parei de menstruar. E agora?

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui