Confira seis dicas para alcançar a inteligência emocional no trabalho

36

Ela é fundamental para a saúde do colaborador que lida com grande pressão e alta exigência no mercado de trabalho

Você já parou para pensar em inteligência emocional no trabalho? Recentemente, a OMS (Organização Mundial da Saúde) classificou o estresse no trabalho como doença. Chamado de síndrome de Burnout, o esgotamento profissional integrará a Classificação Internacional de Doenças. A definição tem origem em uma lista elaborada pela OMS com conclusões de especialistas do mundo todo, que visam estabelecer tendências e estatísticas de saúde.

Diante desse alerta emitido pelo órgão, especialistas da MoveEdu, maior plataforma edtech do país, têm alertado para a importância da inteligência emocional dentro das relações trabalhistas. Um indivíduo com esta capacidade mental consegue superar situações adversas mais facilmente.

“A inteligência emocional é uma característica de pessoas que identificam suas emoções com lucidez. Com esse autoconhecimento, torna-se mais fácil que a pessoa se motive em situações de dificuldade ou de frustrações”, comenta Rafael Nogueira Cunha, diretor da Microlins, uma das marcas MoveEdu e rede entre as maiores do ramo profissionalizante no país.

A seguir, listamos seis características da inteligência emocional que tornam a rotina menos pesada e podem ser um caminho para a redução do problema apontado pela OMS neste ano.

1. Conheça as suas reações ao longo do dia

A melhor forma de saber como se reage a uma notícia ruim é já tendo passado por algo do gênero. Logo, a recomendação do profissional é uma reflexão pessoal em que o indivíduo avalie como ele reagiu a uma situação de dificuldade. “A partir de então, a pessoa poderá analisar se deveria ter reagido de maneira diferente frente à adversidade ou se houve aspectos positivos em suas atitudes. Com esse autoconhecimento é possível se preparar para outros desafios ou situações de estresse profissional”, comenta Rafael.

2. Controle suas emoções

É mais natural do que muitos podem pensar, reagir sem analisar bem uma situação ou ter dificuldades de raciocinar em momentos de pressão. Porém, estas são reações que prejudicam o desempenho do profissional. É preciso estar apto a se controlar em momentos distintos. “O equilíbrio emocional é a chave para a tomada correta de decisão. O profissional que aprende a não agir por impulso tende a ter melhores resultados no trabalho”, comenta o diretor da Microlins.

3. Emoções negativas fazem parte

“Altos e baixos são comuns em todas as esferas da vida do ser humano. Com resiliência é possível assimilar melhor situações ruins e adquirir aprendizado com elas”, diz Rafael.

4. Autoconfiança lá em cima

Só quem acredita no próprio potencial consegue reverter situações adversas. Trabalhar a autoconfiança é fundamental para ganhar experiência e resolver as tarefas cotidianas.

5. A pressão sempre existiu e seguirá existindo

É fato que todo profissional adoraria ter todo o tempo do mundo para resolver as suas demandas. “Mas a verdade é que todos corremos contra o tempo para entregar o que nos é pedido. A pressão é algo inevitável, portanto, o profissional que a encara de maneira mais tranquila tem maiores chances de sucesso”, comenta o diretor.

6. Procure se expressar

O profissional que retém suas emoções corre o risco de não conseguir lidar com elas da maneira ideal. Ao compartilhar receios e debater formas de lidar com adversidades com os colegas, as chances de bom desempenho aumentam. “O trabalho em equipe também consiste em buscar ajuda no colega ao lado para ter boa performance em situações de dificuldade. Conversar em equipe não é necessário apenas para nos mantermos atualizados sobre os projetos do colega com quem trabalhamos. Ela é muito útil para buscar soluções nos momentos de dificuldade”, diz Rafael.

Leia também: Era do cashback: varejo brasileiro aposta no programa de recompensa

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui