• Mundo Zumm
  • Matérias
Início Matérias Bem-estar Levantando a bandeira do parto humanizado

Levantando a bandeira do parto humanizado

Uma das primeiras mulheres a ter um parto domiciliar em Ribeirão Preto, Thaiane Caetano é enfermeira obstetra e ajuda gestantes que desejam ter um parto respeitoso

Assim que seu primeiro filho nasceu – em um parto domiciliar inesquecível (um dos primeiros realizados em Ribeirão Preto) –, os pensamentos de Thaiane S. Guerra Caetano se voltaram para o universo do parto humanizado. Em 2013, Thai, como é conhecida, se formou como enfermeira obstétrica e começou a atender partos domiciliares, já que os hospitais da cidade ainda não possuíam estruturas humanizadas.

Atualmente, ela atua como enfermeira obstetra no Instituto Geração Mãe, uma clínica multiprofissional, que atende gestantes no pré e pós-natal, dando todo o suporte e focando no contato pele a pele, no cuidado mãe e filho, na criação com apego e na comunicação não-violenta.

Conhecimentos que confortam

Especializada em medicina chinesa, acupuntura, aromaterapia e hipnose clínica, a enfermeira obstétrica oferece maior conforto e segurança as mamães no momento do parto. “Essas técnicas podem ajudá-las a entender e superar os mistérios e dores do pré e do pós-parto. Depois que o bebê nasce, faço todo o acompanhamento, sempre buscando deixar o recém-nascido em contato com os pais. Também acompanho a primeira mamada, essencial nesse início de vida. Em seguida, visito os pais em casa para assegurar que está tudo bem com mamãe e o mais novo integrante da família”.

Como uma renomada especialista de aleitamento materno, ela também acompanha a amamentação desde o começo até o desmame saudável, aliando sua visão natural sobre o aleitamento materno e os cuidados com o bebê.

Segundo Thai, essa é uma profissão árdua, que exige muito psicologica e fisicamente, mas que faz total diferença na vida das famílias. “Saber que realizamos nascimentos que, de outra maneira, teriam tido um outro foco, desnecessário ou até mesmo prejudicial, me deixa realizada. Não há nada mais belo!”, finaliza.

Leia também: Salto alto para crianças? Conheça os riscos físicos e psicológicos

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui

MAIS LIDAS DA SEMANA

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!