Muito mais que uma floresta

0
24

Reconhecida pela riqueza natural, a região amazônica tem muito a oferecer aos visitantes, merecendo atenção especialmente daqueles que gostam de cultura e tradição

Foto divulgação

O que você sabe sobre a Amazônia? E não vale responder que ela é uma das florestas mais importantes do mundo. Porque, mais que isso, ela abriga diversas culturas, cheias de lugares, personagens e histórias que merecem ser reconhecidos e visitados.
Para quem não sabe, essa região está presente em oito países, mas com grande parte (60%) só no Brasil. Atendo-se a essa parcela, Manaus é considerada por muitos a porta de entrada da região, bem como a cidade mais populosa e o centro econômico da Região Norte – portanto, não espere encontrar floresta ali. Com grande desenvolvimento no curto período do Ciclo da Borracha, o município tem características históricas e grandes obras, como o Teatro Amazonas (de estilo renascentista, com material importado de diferentes países e uma cúpula coberta com 36 mil azulejos decorados), o Palacete Provincial (endereço de cinco museus) e o Palácio Rio Negro (construção em estilo eclético, erguida em 1903).
No extremo norte, o Amapá também “esconde” suas curiosidades. Como símbolo de defesa e resistência do país, a Fortaleza de São José de Macapá ocupa uma área de quase 30.000m² no Centro da cidade, às margens do rio Amazonas, com muralhas de oito metros de altura em alvenaria de pedra e cal, ficando aberta a visitações de terça a domingo, das 8h às 18h. Na capital, ainda está o Marco Central, um obelisco que indica o ponto central da linha do Equador.
Já em Roraima, os visitantes têm acesso (embora controlado) a dois marcos de extrema importância: o Sitio Arqueológico da Pedra Pintada, reserva indígena onde foram encontrados inscrições rupestres e artefatos de antigas civilizações, e o Parque Nacional de Monte Roraima, considerado uma das mais antigas montanhas da Terra.
E, claro, é possível aproveitar a natureza da região de forma turística (e sem danificá-la). O ecoturismo pode ser praticado no Amazonas durante o ano todo, com caminhadas e trilhas na floresta, e passeio de canoa nas trilhas aquáticas, além de excursões clássicas e “safári”, expedição que inclui uma visita à plataforma flutuante onde é possível interagir com botos e avistar belos animais, até alguns ameaçados de extinção. Ainda é possível fazer um cruzeiro (ou quase isso) à lá Amazônia: o Iberostar Grand Amazon, um hotel flutuante de luxo, all inclusive, cuja programação externa inclui visita ao arquipélago das Anavilhanas e passeio noturno para observação de jacarés.

Por Amanda Pioli

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui