Exames preventivos são principais formas de combate ao tumor, o maior em incidência entre os homens

O câncer de próstata – principal em incidência entre os homens (excluindo-se o câncer de pele)- deve registrar 68.220 novos casos neste ano no Brasil, o que corresponde a um risco de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer). E conscientizar a população masculina sobre a importância de exames preventivos é um dos principais desafios no combate à doença.

Por isso, a Campanha Novembro Azul alerta que o diagnóstico precoce é o principal caminho para a cura da doença, que deve causar 359 mil mortes em todo mundo neste ano, segundo a OMS. “Para um diagnóstico precoce é recomendável que homens a partir de 50 anos (e 45 anos para quem tem histórico da doença na família) façam exame clínico (toque retal) e o teste de antígeno prostático específico (PSA) anualmente para rastrear o aparecimento da doença”, orienta o médico Saulo Brito, oncologista do InORP/ Grupo Oncoclínicas.

Superar as barreiras do preconceito é um dos principais desafios no combate ao câncer, segundo mostra uma pesquisa realizada em 2017 pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). Encomendado pelo Datafolha, o estudo indica que 21% do público masculino acredita que o exame de toque retal “não é coisa de homem”. Considerando aqueles com mais de 60 anos (grupo de risco), 38% disse não achar o procedimento relevante.

Sintomas e tratamento

Os principais sintomas do câncer de próstata podem ser semelhantes ao crescimento benigno da glândula, tendo como características dificuldade para urinar seguida de dor e/ou ardor, gotejamento prolongado no final, frequência urinária aumentada durante o dia ou à noite. Quando a doença já está em fase mais avançada, pode ocorrer a presença de sangue no sêmen, impotência sexual, além de outros desconfortos decorrentes da metástase em outros órgãos.

Dr. Saulo Brito, oncologista do InORP/ Grupo Oncoclínicas

O tratamento depende do estágio e da agressividade em que o tumor de próstata se encontra. Em casos iniciais e com características de baixa agressividade, o acompanhamento vigilante com consultas e exames periódicos deve ser discutido com o paciente, uma vez que é possível poupar os mesmos de algumas toxicidades que o tratamento causa. Nos outros casos de doença localizada, a cirurgia, a radioterapia associadas ou não a bloqueio hormonal e a braquiterapia (também conhecida como radioterapia interna) pode ser realizada com boas taxas de resposta. “Após a cirurgia, em alguns casos é necessário realizar o procedimento de radioterapia pós-operatória para a diminuição do risco de recidiva da doença”, diz o Dr. Saulo Brito.

Prevenção

Uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, segundo o INCA.

Outros hábitos saudáveis, como manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar também são importantes para a prevenção.

Os exercícios físicos também são alternativas eficazes na prevenção ao câncer de próstata. Um estudo da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, mostrou que os homens que se exercitavam vigorosamente 3 horas ou mais por semana tiveram risco de mortalidade pela doença 61% menor do que os do segundo grupo.

Ainda segundo o INCA, homens que têm pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos, aumentam o risco de ter a doença de 3 a 10 vezes comparado à população em geral, podendo refletir tanto fatores genéticos (hereditários) quanto hábitos alimentares ou estilo de vida de risco de algumas famílias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui