Maior cooperativa de café do mundo, a Cooxupé exportou, em 2018, 4 milhões de sacas para 50 países e ainda conseguiu fazer o pequeno produtor se tornar grande

No agronegócio, como em qualquer outra atividade, me encanta ações coletivas que permitem a geração de oportunidades e a inclusão sustentável de pessoas − mas sem esquecer o incentivo ao trabalho, ao esforço e a meritocracia. Em uma sexta-feira de abril, passei por uma linda experiência: a chance de fazer uma palestra para mais de 800 pessoas em Guaxupé (MG), no momento em que a Cooxupé, uma cooperativa montada em 1957, fazia a transição da gestão de um presidente, que ficou por quatro mandatos (16 anos) para um novo, num ambiente de festa, harmonia e, principalmente, de apresentação de resultados.

A Cooxupé é o Brasil que dá certo. Em 2018, faturou R$3,8 bilhões, produzindo 6,5 milhões de sacas de café (12% do nosso total) e exportando 4 milhões destas para 50 países (15% do total vendido pelo Brasil) – ou seja, a maior cooperativa de café do mundo. Conseguiu ainda fazer o pequeno produtor de café ser grande, a partir da compra, em conjunto, dos insumos que ele precisa.

Além de executar muito bem suas funções, teve um resultado final em 2018 de quase R$120 milhões, dos quais R$50 milhões foram destinados aos cooperados com base no critério proporcional de uso da cooperativa (mérito). Em 10 anos, eles investiram R$460 milhões, movimentando diversos fornecedores em muitas cidades e, em 2015, ampliaram e modernizaram sua torrefação para hoje vender café embalado e com marca.

A cooperativa ainda emprega 2.200 pessoas e, considerando-se quatro em cada casa, temos quase 9 mil vidas influenciadas por ela; gastou quase R$180 milhões com salários e benefícios sociais, que movimentam as pequenas cidades; pagou, ano passado, para as esferas municipal, estadual e federal, R$102 milhões em impostos, fora outros programas sociais. É um modelo social que funciona e nos orgulha. Uma organização que tem 14.500 donos (cooperados), que dá resultados e premia o mérito.

Marcos Fava Neves
Engenheiro Agrônomo
Professor da FEARP/USP e EAESP/FGV
favaneves@gmail.com
www.doutoragro.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui