Querendo sempre mais

0
112

Sonhos nunca são pequenos demais

Não vivo em um mundo paralelo, sei que a vida de uma pessoa com algum tipo de limitação é cheia de dificuldades de toda ordem. Já passei da idade de acreditar que o mundo, quando você não se enquadra no padrão imposto, te verá sem julgamentos ou olhares desnecessariamente piedosos.

Enquanto pessoa com deficiência que TENTA levar uma vida mais próxima do normal possível, lhes garanto, se tem uma coisa que incomoda é as pessoas acharem que você é obrigado a contentar-se com pouco ou quase nada. O mundo acredita que, para a realidade que você vive, o pouco já está bom.

Quantas vezes ouvi, quando ameaçava fazer dieta, a seguinte frase: “Para que fazer isso? Você já sofre tanto”! Agora, com minha saída do jornal, estou vivendo um dilema gigante que preciso compartilhar com vocês: Ao mesmo tempo, ouço as seguintes palavras: “Dois mil reais, trabalhando em casa, para você, mesmo que seja por anos, está de ótimo tamanho”!

Com todo respeito, não, não está de bom tamanho! Quero almejar fazer stand-up comedy em São Paulo, ter uma vida saudável, conseguir ter um cargo legal em um veículo de comunicação, uma mulher, um molequinho ou uma menininha para torcer comigo pelo tricolor paulista. É minha vida, saca? Não posso limitá-la por causa de uma cadeira ou da minha voz estranha.

Se eu estou no mundo, a única coisa que me cabe é vive-la da melhor forma e assim o farei!    

Gabriel Pereira
Jornalista, deficiente físico e escritor
Autor do livro “NEM TE CONTOs”
@gabspjornalista

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui