Como em qualquer segmento, as franquias estão sujeitas a riscos, todos os quais devem ser cuidadosamente avaliados pelo candidato antes de realizar os investimentos iniciais

Seguindo as tendências e os dizeres das redes sociais, “quem nunca” comprou ou teve algum amigo, parente ou colega de trabalho que tenha comprado uma franquia? Muito provavelmente, todos terão na lembrança casos relacionados à essa experiência. Mas, para alguns, infelizmente tais memórias serão de situações negativas, que transformaram o sonho do negócio próprio em um verdadeiro pesadelo. E por que isso acontece?

Como em qualquer segmento, as franquias estão sujeitas a riscos, todos os quais devem ser cuidadosamente avaliados pelo candidato antes de realizar os investimentos iniciais, tendo, de preferência, o auxílio de um profissional experiente.

Na escolha do franqueador, é importante avaliar seu histórico, tempo no mercado, satisfação dos franqueados existentes, tipo do produto ou serviço oferecido, assistência e valores cobrados. Essas informações estarão consolidadas na chamada “COF − Circular de Oferta de Franquia”, que servirá de parâmetro para todo o tempo do contrato.

Para aqueles que já investiram, a sugestão é ficar sempre atento ao franqueador, suas atuais condições financeiras e operacionais, exigindo dele o cumprimento de tudo aquilo que foi ajustado. Em especial com relação a supervisão, orientação, treinamentos periódicos, reinvestimento das taxas de publicidade e tantas outras ações essenciais ao desenvolvimento do negócio. Sem deixar, é claro, de dedicar-se ao máximo para o sucesso de seu negócio.

Dr. Ronny Hosse Gatto|OAB 171639/SP
Mestre em Direito da Integração e Relações Empresariais e Especialista em Direito Processual Civil e do Agronegócio
Dúvidas: ronny@gmpa.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui