No mês em que é comemorado o Dia do Médico, nada mais justo que homenagearmos esses profissionais que salvam milhões de vidas em todo o mundo e nunca param de reciclar seus conhecimentos em busca de novos diagnósticos e tratamentos

Eles atualizam seu conhecimento, constantemente, para nos oferecer soluções em tratamentos; eles se preocupam com a nossa saúde e não medem esforços para encontrar uma solução para as dores e mal-estar que surgem pelo caminho; eles precisam ter um “Q” de psicólogos, para dar apoio quando nos sentimos desprotegidos e com medo do que pode estar acontecendo; eles fazem parte de toda a nossa vida, em vários sentidos, e nos salvam, de pequenas, médias e grandes formas, proporcionando dias mais saudáveis e felizes. Parabéns, médicos! Obrigada por, muitas vezes, deixarem suas vidas de lado para salvar outras milhares.
Essa matéria é uma forma de agradecer por todo o esforço e dedicação, e aproveitar para ressaltar as novidades que encontramos no polo de saúde que se tornou Ribeirão Preto, o qual envolve potenciais tecnologias e avanços – sem deixar de lado o olhar humano desses profissionais que, unindo vocação e talento, fazem toda a diferença no resultado dos diagnósticos.

Constante atualização

A Medicina sempre foi uma área que exigiu de seus profissionais a busca contínua por novos conhecimentos. Afinal, como explica o médico ortopedista Raphael Mismito de Carvalho (CRM/SP 138111 – TEOT 13386), especialista em cirurgia do joelho e trauma de membros inferiores, novos problemas e novas soluções surgem diariamente. “Temos que acompanhar, especialmente na área de traumas. A medicina caminha a passos largos e precisamos acompanhar o ritmo. A atualização é imperativa ou o médico vai ficar para trás. Mas é preciso saber onde procurar para garantir as melhores fontes de informação”. Sendo assim, desde a época de estudante, o especialista mantém o hábito de, pelo menos uma vez por semestre, participar de congressos ou cursos da área. “A gente precisa continuar estudando. Não dá e não pode parar”, destaca.
Nesse sentido, o cirurgião plástico Ricardo Silveira (CRM/SP 101558), titular da SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) e membro internacional da ASPS (Sociedade Americana dos Cirurgiões Plásticos), afirma que a era digital favoreceu o acesso à informação e o networking entre profissionais, possibilitando troca de experiências como forma de atualização, bem como a reflexão sobre a prática diária. “Realizar estágios supervisionados com cirurgiões plásticos renomados e reconhecidos mundialmente também é essencial. Além disso, não podemos desconsiderar que o aprimoramento da prática profissional requer que façamos repetidamente os passos técnicos da mesma cirurgia. Mas o processo não se resume a isso. Para a evolução constante, devemos sempre ter uma mente aberta para o novo”.

Atendimento humanizado

Com esse reconhecimento da importância do novo, bem como do acúmulo de informações antepassadas, a Santa Casa, antes de outras funções, se posiciona como um hospital de ensino, que atua na graduação médica, na formação especializada e na qualificação profissional. De acordo com o Dr. Marcelo Di Bonifácio (CRM/SP 83560), superintendente da Santa Casa de Ribeirão Preto, para formar médicos e especialistas, são necessários professores capacitados e atualizados, assegurando, assim, a qualidade de seu corpo clínico e a humanização do atendimento. Os médicos que participam das áreas de graduação são selecionados pelo Centro Universitário Barão de Mauá e por eles são contratados. Já os que atuam nas áreas de residência médica e especialização, são selecionados pelos supervisores de serviços. Por sua vez, os demais, que atuam exclusivamente na assistência, são submetidos às regras do CTD e da direção clínica do hospital.
O maior diferencial da Santa Casa para a qualificação do seu corpo clínico, na visão do superintendente, é ser formador de médicos e de especialistas se preocupando com a humanização no atendimento.

Dr. Marcelo Di Bonifácio (CRM/SP 83560), superintendente da Santa Casa de Ribeirão Preto

“Todos os médicos do nosso corpo clínico são motivados a participarem dos programas de educação permanente e continuada do hospital, além de serem estimulados para a produção científica e para participação de jornadas e congressos”, comenta Dr. Marcelo.

 

 

Atualização constante e corpo clínico de qualidade

Visando a possibilitar essas condições de trabalho para o seu corpo clínico, começando, inclusive, desde o ponto de vista ergonômico, com excelente estrutura física de consultório e recursos humanos (secretárias, faturamento), o InORP/Grupo Oncoclínicas realiza a cada três semanas discussões científicas com médicos da cidade, levando mais conhecimento a esses profissionais, além de permitir e auxiliar que os médicos participem cada vez mais de congressos nacionais e internacionais.

Dr. Diocésio Andrade (CRM/SP 132129), médico oncologista do InORP/Grupo Oncoclínicas

Altos níveis de conhecimento, inclusive, são exigidos antes da contratação, já que, a fim de fazer parte do corpo clínico do Grupo, é obrigatório que todos os médicos tenham realizado residência médica reconhecida pelo MEC em Oncologia Clínica e/ou Hematologia. “Após ter esse pré-requisito cumprido, uma série de contatos com profissionais, com os quais esses possíveis médicos do nosso futuro corpo clínico tenham realizado suas residências, é feita com o intuito de saber a respeito do relacionamento interpessoal e também do conhecimento técnico”, explica Dr. Diocésio Andrade (CRM/SP 132129), médico oncologista do InORP/Grupo Oncoclínicas.

 

 

Valorização da equipe

Um serviço de qualidade, sendo assim, começa com o reconhecimento que ter uma infraestrutura de ponta e tecnologia de última geração não é suficiente para garantir um serviço de qualidade. Esse, por sua vez, só é possível com pessoas bem preparadas para desempenhar suas funções. “O corpo clínico é um dos ativos mais importantes do Esselense Day Hospital. Temos um setor de relacionamento cujo objetivo é promover um ambiente prazeroso ao médico e eficiente do ponto de vista da assistência em saúde”, ressalta o neurocirurgião Dr. José Antônio Braz Galvão (CRM/SP 16646), diretor médico do Esselense Day Hospital.
A valorização do potencial humano, contudo, não exclui o reconhecimento da importância de contar com os melhores aparatos, como explica o médico.

Dr. José Antônio Braz Galvão (CRM/SP 16646), diretor médico do Esselense Day Hospital

“Acreditamos que para exercer a medicina de última geração, nossos médicos devem contar com equipamentos e tecnologias atualizadas. Um bom exemplo dessa filosofia é a recente implantação do prontuário anestésico totalmente eletrônico”.

 

 

Frutos para o futuro

Formar uma família faz parte dos planos da maioria de mulheres e homens ainda que o momento para que isso aconteça varie bastante. E para garantir que esse sonho se torne real independentemente de fatos adversos, o trabalho da Clínica Ana Bartmann se destaca pelo carinho, dedicação e profissionalismo com que isso é feito.

Drª. Ana Karina Bartmann (CRM/SP 103093), ginecologista especialista em reprodução humana

 

“Nossos profissionais se destacam também por inspirar futuros. O humanismo é fundamental na prática médica e não pode ser substituído pela tecnologia. Nós acreditamos nisso”, destaca Drª. Ana Karina Bartmann (CRM/SP 103093), ginecologista especialista em reprodução humana.

 

 

 

 

Com essa atenção especial, a clínica oferece boas condições também aos médicos, já que conta com toda uma estrutura de laboratório para especialistas e fornece consultoria em várias frentes, desde apoio logístico e técnico até troca de experiencias. “Oferecemos cursos mensais, publicamos artigos em conjunto… esse ano, publicamos o livro “Manual de Ginecologia Endócrina e Infertilidade Conjugal” com vários médicos e alunos de medicina como autores. Valorizar os médicos está no cerne de nosso trabalho, uma vez que acreditamos que o profissional é o coração, o ponto mais importante da atividade em Reprodução Humana”, garante a especialista.

Pioneiros em tratamentos e espaços planejados

Para eliminar as preocupações não relacionadas exclusivamente ao atendimento médico, tanto o CTO (Centro de Tratamento Oncológico) quanto o CTR (Centro de Tratamento em Radio-oncologia) de Ribeirão Preto potencializam o trabalho dos médicos, disponibilizando uma estrutura de serviços completa.
Assim, a arquitetura das clínicas permite um fluxo seguro, eficiente e tranquilo, garantindo bem-estar a todos os players (médicos, pacientes e funcionários).

Dr. Fernando Marin Torres (CRM/SP 52074), diretor executivo do CTO e do CTR

 

“Além desse conforto, semanalmente, são revisados temas importantes relacionados à oncologia em uma reunião de atualização sempre com palestrantes de outros serviços de oncologia, seja de forma presencial ou como videoconferência”, revela o Dr. Fernando Marin Torres (CRM/SP 52074), diretor executivo do CTO e do CTR.

 

 

 

 

Segundo ele, esse modelo de interação permite a troca de experiências e a discussão de casos clínicos de forma frequente, inclusive com profissionais de fora do país.
Pioneiros, os centros trouxeram sistemas de precisão em radioterapia, como IMRT, VMAT e radiocirurgia. “Em relação ao atendimento infusional (quimioterapia) proporcionamos o conforto de salas individuais e, recentemente, por meio de uma parceria com o Dr. Renato Soriani, dermatologista especialista em tratamento capilar, estamos oferecendo sistemas de prevenção à perda de cabelos conhecidos como touca térmica”, aponta Dr. Fernando.
Os centros também foram, na região, os primeiros a oferecer sequenciamento de DNA, baseado em máquinas de nova geração (NGS Sequencing) para avaliar de forma individualizada a presença de mutações nos tumores, indicando, dessa forma, o tratamento mais específico para cada caso.

A importância da radiologia e do diagnóstico por imagem

Desde a sua fundação, em 1997, a Documenta visa a um ambiente interno de trabalho saudável e que estimule a atualização do conhecimento de toda a sua equipe de forma contínua. Dentro dessa proposta, os médicos são importantíssimos para que o centro perpetue essa organização de aprendizado voltada para área da saúde, propiciando que os médicos possam compartilhar todo o seu conhecimento, já que, especialmente na área da radiologia e diagnóstico por imagem, a todo momento surgem novos estudos, equipamentos e softwares. “Médicos atualizados e com conhecimento são considerados imprescindíveis para a sociedade na promoção da saúde e, consequentemente, são valorizados pelo seu trabalho”, afirma o Dr. Aloísio Abud (CRM/SP 31912), especialista em Radiologia e Diagnóstico por Imagem, áreas que são bons exemplos de como a tecnologia e o conhecimento evoluem rapidamente.

Dr. Aloísio Abud (CRM/SP 31912), especialista em Radiologia e Diagnóstico por Imagem

A Documenta se mantém atenta às novidades tecnológicas e adquire, constantemente, equipamentos mais modernos e novos softwares. “Essas inovações permitem diagnósticos mais precisos e que abordam todas as dúvidas dos médicos solicitantes. Tal necessidade deve ser vista como uma grande oportunidade para que os médicos imaginologistas possam se firmar como uma especialidade central e indispensável para as diversas áreas da medicina”, afirma o profissional.

 

 

 

Cuidado além do paciente

Diante de um momento único na ciência, que evolui em ritmo acelerado, o profissional da saúde precisa de reciclagem para se manter atualizado com os equipamentos e recursos, podendo informar seus pacientes sobre o que há de melhor em tratamentos. Na área auditiva, por exemplo, essa aceleração traz grandes benefícios, trabalhando com aparelhos auditivos que, além de amplificarem os sons (que é a sua função tradicional), possuem o conceito de praticidade (sem pilhas), acessibilidade (se conectando a diferentes equipamentos eletrônicos), regulagens realizadas à distância (acesso remoto no aparelho onde a cliente estiver) e designers inovadores e discretos.

Flávia Araújo (CRFª 2 – 11.140), fonoaudióloga fundadora sócio-proprietária da Sonido

“O fonoaudiólogo que adapta aparelhos deve ter o cuidado de não restringir os recursos existentes, pois isso poderá representar uma defasagem no produto no ano seguinte e prejudicar o paciente. Esse olhar ‘além’ proporciona uma parceria entre profissional e cliente, possibilitando um total convívio com o que há de melhor dentro das necessidades, inclusive no quesito financeiro”, ressalta Flávia Araújo (CRFª 2 – 11.140), fonoaudióloga fundadora sócio-proprietária da Sonido.

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui