Agora é que são elas

0
101

Empoderar-se é o ato de tomar poder sobre si. É autoconfiança, uma forma não verbalizada de comunicação e expressão, que nos últimos tempos tem apresentado novas possibilidades, funcionando também como uma ferramenta de representação de ideologias. O movimento contra a “ditadura do corpo ideal” vem crescendo cada vez mais, o que gera um progressivo processo de reorganização social referente ao tema. Por isso, convidamos mulheres de diferentes etnias, tamanhos e idades que representam muito bem essa diversidade e a aceitação da beleza natural.

Nathala Pereira Lisboa, vendedora, 20 anos
Conjunto R$152 e sandálias R$129 VERDEFATTO
“Quando eu era mais nova, com uns 12 anos, queria alisar meu cabelo, por conta da praticidade. Seria mais fácil para pentear e lavar quando eu tinha que acordar cedo para ir à escola. Porém, hoje em dia, é o contrário. Acho mais prático ter ele natural! Já sofri preconceito por causa da minha cor de pele, mas ainda acredito na mudança. Mesmo não me sentindo representada nas mídias, acho que aos poucos a mulher negra se destaca em postos importantes da sociedade, como é o caso da Maju (Maria Júlia Coutinho), jornalista do Jornal Nacional da Rede Globo. Gosto do que vejo no espelho e acredito nas belezas diferentes, sem me apegar a padrões”.
Taisa Salermo dos Santos, empresária, 38 anos
Saia R$319,90 e blusa R$89,90 MARIKITTA
“Nesses 10 anos de loja, amadureci muito como empreendedora! [ela comanda a multimarcas Marikitta]. Eu me limitava a trabalhar com numerações pequenas. Abri minha cabeça, ouvi minhas clientes e senti a necessidade de mudar. Hoje tenho uma extensa grade, que vai do PP ao 48. Muitas vezes a mulher que veste G não é gorda, ela só não se encaixa no padrão de modelagem imposto por algumas confecções da indústria têxtil. Temos que pensar que a brasileira tem curvas e desapegar dos rótulos como o de plus size”.
Vera Lúcia Pires Sandrin, dona de casa, 65 anos
Camisa R$279 e saia R$289 SOIRÉE
“Sou muito vaidosa, não saio sem estar maquiada ou sem combinar meus sapatos com a minha roupa. Meu marido admira muito isso. Me preocupo sim com as rugas, a gente envelhece e tudo muda. Eu tive câncer de mama e tudo caiu literalmente! Mas o fato de eu estar viva deixa qualquer outro detalhe estético pequeno. Tive uma alergia de tintura e decidi assumir os fios brancos, o que hoje adoro e não tenho vontade de mudar. A mulher tem que se conhecer e se amar! O que a gente tem por dentro, o que não vemos, mas sentimos, é muito mais importante”.
Lorena Vieira, estudante de jornalismo, 21 anos
Saia R$292 e body R$428 AMIR SLAMA Tênis R$179 e bolsa R$209 VIA MIA
“O empoderamento feminino é colocar nós, mulheres, no degrau de cima, contribuir para que conquistemos nossos espaços, seja de fala ou de trabalho. É mostrar que somos todas lindas do jeito que somos, independentemente das características físicas. É deixar claro que podemos tudo o que quisermos, ter o poder de escolha. Escolher a cor do nosso cabelo. Escolher ter filhos ou não, escolher ser modelo ou jogadora de futebol, ter essa liberdade. É apenas ser humano”.

Produção de cabelo e maquiagem: Equipe DK Beauty & Hair
Fotos Zoro Seixas

 

Onde encontrar
Amir Slama: (16) 3102.9226
Marikitta: (16) 3621.6168
Soirée: (16) 3237.3741
VerDeFatto: (16) 3442.5092
Via Mia: (16) 3902.1252

DEIXE UMA RESPOSTA

Deixe seu Comentário
Por favor coloque seu nome aqui